Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Passivo da Câmara aumenta 23%

O passivo da Câmara Municipal de Leiria atingiu os 107 milhões de euros no último ano, o que significa um aumento de cerca de 20 milhões de euros (23%) em relação a 2005. Os números fazem parte do Relatório de Gestão de 2006 da autarquia e aparecem, hoje, no Diário de Leiria.

As causas para este aumento do passivo são os empréstimos contraídos pela autarquia a médio e a longo prazo, representando 62% do passivo (66 milhões de euros), seguidos pelas dívidas a fornecedores (18% do passivo), registando-se também uma subida (28%) nas despesas relacionadas com fornecedores de conta corrente, que se avaliam em 2,5 milhões de euros.
Outro factor para o crescimento do passivo foi a amortização de empréstimos, que ascenderam a perto de cinco milhões de euros, o que se traduz num crescimento de 20% a nível de amortizações.

Crescimento acelerado do passivo desde 2002

O crescimento do passivo autárquico é uma evidência constatável a partir de 2002 (43,694 milhões de euros). O ano passado foi um dos de maior aumento, apesar de menor face a 2004, altura em que foram contraídos empréstimos para obras no estádio municipal, um dos palcos do Europeu de futebol desse ano.

Também as despesas da autarquia conheceram um crescimento, aumentando 3%, para os 57 milhões de euros, facto potenciado por um aumento de 15% (mais de cinco milhões de euros) nas despesas correntes. Quanto às despesas de capital, diminuíram 15%, mostra o documento.

As receitas da autarquia subiram 0,6%, para os 56 milhões de euros, ficando «56% [cerca de 70 milhões de euros] aquém da previsão inicial», sublinha o relatório. O crescimento não se revelou, portanto, suficiente para acompanhar o aumento das despesas.

LE com Diário de Leiria

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.