Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Burocracia atrofia sector portuário em Portugal

O director-geral da Svitzer Wijsmuller, líder mundial do sector dos rebocadores que opera em Portugal, afirmou, em declarações à agência Lusa, que a burocracia é o factor que impede a dinamização do sector portuário em Portugal.

Se Portugal «não fosse tão burocrático, conseguiria cativar mais navios para o registo sob bandeira portuguesa e dinamizaria mais o sector e todos os serviços envolventes afins», revelou Lex van der Schaaf, criticando, especialmente, a legislação antiquada que é cumprida pelo Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), que regula o sector, leiria «pouco adaptadas à presente situação económica e aos avanços tecnológicos».

«Hoje, a Holanda e a Dinamarca são grandes potências no sector marítimo-portuário», mas «só foi possível dar a volta porque vencemos a burocracia», disse, adiantando lamentar que «Portugal, durante séculos uma potência marítima, esteja num impasse que atrofia todo o sector, desde o ensino até ao expediente comercial e movimento portuário».

A Svitzer Wijsmuller tem actualmente 41 funcionários (entre tripulações e administrativos), sete rebocadores e proporciona estágios aos alunos da Escola Náutica.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.