Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Sival avança para o mercado espanhol

Célia Marques
cmarques@leiriaeconomica.com

O grupo Sival vai alargar a comercialização dos tubos que produz ao mercado espanhol. O objectivo passa por canalizar para aquele mercado, nos próximos dois anos, 25% de um volume de negócios que ronda, actualmente, os oito milhões de euros, disse Pedro Faria, presidente da empresa, ao Leiria Económica. Numa primeira fase, a expansão será feita através de parcerias com revendedores locais.

Segundo Pedro Faria, Espanha apresenta-se como «o mercado natural de expansão para o segmento de tubos», uma vez que algumas regiões fronteiriças ficam mais próximas do que alguns pontos de Portugal. «A Península Ibérica faz todo sentido. Não podemos ficar restringidos ao mercado nacional», salientou.

Investimento de 5 milhões em equipamento na área da tubagem

A expansão para o mercado espanhol tem como objectivo rentabilizar o investimento de cinco milhões de euros que o grupo fez recentemente em equipamento para a produção de tubos corrugados (canelados) de polietileno e de polipropileno, melhorando, deste modo, a performance no segmento de tubos que, em 2006, foi inferior à verificada na área de gessos, a que o grupo Sival também se dedica.

Os tubos corrogados «permitem uma poupança significativa de matéria-prima, o que se traduz num custo final interessante», explica Pedro Faria. A tubagem destina-se à construção civil, sistemas de rega e telecomunicações e a Sival tem como clientes, neste segmento, as empresas de construção, armazenistas e a PT.

Facturação rondou os 18 milhões de euros em 2006

O grupo Sival, a operar em Portugal desde 1944, facturou, em 2006, cerca de oito milhões de euros na área de negócio das tubagens (plásticos) e dez milhões de euros no segmento de gessos, o que perfaz um total de 18 milhões de euros.

O grupo Sival, sedeado em Leiria, dedica-se ao fabrico de tudos em polietileno e PVC, bem como tubos corrogados em polietileno e polipropileno. Produz ainda massas de estucar pré-doseadas de aplicação mecânica ou manual, massas de acabamento e barramento, colas de gesso e gessos cerâmicos.

A sua actividade contempla também a comercialização de placas de gesso e acessórios, ferramentas para a construção civil, máquinas de projectar gessos e rebocos, molduras em PVC e poliestireno.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.