Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Comércio entre Portugal e Singapura intensifica-se

Singapura – considerada a economia mais globalizada do mundo – aparece como um mercado onde existem inúmeras oportunidades de negócio ainda por explorar pelas empresas portuguesas, revela o site da Associação Empresarial Portuguesa.

O relacionamento comercial entre Portugal e Singapura – o terceiro maior destino das exportações portuguesas no espaço extracomunitárionão – não só exibe alguma expressividade como tem vindo, de facto, a intensificar-se, tal como tem acontecido com o mercado chinês. O peso das exportações para Singapura no total das exportações nacionais era de 0,6% em 2004, passando para 0,8% em 2005.

Considerando as exportações portuguesas para Singapura que foram objecto de posterior reexportação para a China, registou-se, entre 2004 e 2005 um acréscimo de 172,8%, contra um aumento de 23,6% na parte destinada ao mercado local.

No entanto, para Singapura, os produtos portugueses representam, apenas 0,15% do total das suas importações, o que revela inúmeras oportunidades de negócio ainda por explorar pelas empresas portuguesas, salienta a AEP.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.