Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Moldes devem adoptar novos modelos de negócio

«Novos modelos de negócio devem ser adoptados pelas empresas de moldes da Marinha Grande», foi a conclusão do debate sobre «Novos modelos de negócio e seu financiamento», realizado, no dia 28, pela Cefamol – Associação Nacional da Indústria dos Moldes, o qual reuniu empresários dos moldes e ferramentas especiais, revela a edição de hoje do Região de Leiria.
.
De forma a ganharem poder negocial, junto de clientes e fornecedores, a organização, gestão e marketing devem constituir os alicerces da empresa. Estabelecer parcerias, identificar novos nichos e oportunidades, de forma a conseguirem manter e elevar o posicionamento internacional alcançado, são as prioridades para as empresas.

Os novos modelos de negócios devem ser acompanhados por inovadores modelos de financiamento de operações e uma política de investimentos estruturada e adaptada às reais necessidades e capacidades da empresa. Há que reforçar a imagem e capacidade de lobby do sector para conquistar mercado.

O painel de comentadores foi constituído por José Costa, da Moldit, Joaquim Paulo, da Iberomoldes, e João Faustino, da TJ Moldes

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.