Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Calcários da Serra de Aire e Candeeiros dos mais procurados no mundo

A contrastar com o cenário de crise económica que tem vindo a ser traçado na última década, o sector das pedras ornamentais parece sorrir da crise. Os calcários da Serra de Aire e Candeeiros são dos mais procurados em todo o mundo. Segundo a edição de hoje do Diário de Leiria, 80 por cento da produção tem o mercado externo como destino. A criação de uma marca que promova e certifique a pedra portuguesa está já a ser trabalhada, adianta o diário.

Actualmente, o sector está «em forte crescimento», contrariando a tendência do sector no País e da economia de uma forma geral, «Estamos sempre a ouvir os nossos governantes dizerem que é importante que o País ganhe uma maior competitividade, que tem de exportar mais», quando existe uma zona «onde 80 por cento do que produz é para exportar», afirma Miguel Goulão, secretário-geral da Assimagra – Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins.

Grande procura por parte da China

Neste momento, a «procura por parte da China é muito grande». De tal forma que, a esta altura, «não temos capacidade de produção para dar resposta às necessidades de um mercado como a China, quer ao nível da extracção, quer ao nível da transformação», adiantou.

Uma das estratégias da Assimagra passa pela criação de uma marca, que possa «promover a pedra portuguesa no seu todo», o que deverá acontecer até ao final do ano.

Segundo os números da associação, existem dentro da área do parque um total de 456 unidades extractivas (de pedra em bloco, a ornamental, de calçada, e para produção de cimento ou brita).

LE com Diário de Leiria

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.