Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Dívida ao estrangeiro ascende a 69% do PIB

As dívidas das famílias, das empresas e do Estado ao estrangeiro atingiram, em Junho, o nível mais elevado de sempre. Somam já 69% do riqueza do País (PIB). Em seis meses, desde Dezembro último, a dívida do País aumentou dez mil milhões de euros. E a dívida da banca nacional para com os seus pares europeus já representa mais de metade das “responsabilidades” do País para com o exterior, revela a edição de hoje do Diário de Notícias.

Ao todo, os bancos nacionais devem ao estrangeiro 69,6 mil milhões de euros, sendo responsáveis por cerca de 67% do total da dívida externa. E o aumento da “responsabilidade” continua imparável. Tudo para responder à “sede” de empréstimos para consumo, compra de casa ou mesmo investimento efectuados pelos portugueses, adianta o DN.

CGD é único que não recorre a empréstimos no exterior

Os últimos dados do Banco de Portugal indicam que a exposição da banca fora de fronteiras aumentou 8,3%, desde o final de Dezembro do ano passado. Segundo o DN, à excepção da Caixa Geral de Depósitos (CGD) – por tradição o passivo (depósitos) é superior aos créditos concedidos – toda a banca do sistema teve de recorrer a empréstimos ao exterior para “alimentar” o crédito no mercado interno.

Os custos anuais para suportar o endividamento – entre juros e amortizações – poderão chegar aos 3,5% do PIB, revela ainda o diário.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.