Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Di Stilo aposta em diferenciação e feiras internacionais

Rui Marques
rmarques@leiriaeconomica.com

Sapato igual ao cinto. É neste conceito que assenta a estratégia da Di Stilo, marca própria da José Jacinto Ramalho & Filhos Lda., uma empresa da Benedita especializada em calçado e acessórios, que se posiciona no segmento médio/alto. Segundo o responsável pela empresa, é «aquele em que o preço é menos determinante e a qualidade do produto e serviço se revelam essenciais».

A estratégia da Di Stilo passa por produzir os cintos e subcontratar a produção de sapatos, atendendo aos conceitos desenvolvidos e a um cliente com o perfil do homem clássico e profissional. A marca Di Stilo, que actualmente se comercializa apenas no mercado externo, procura diferenciar-se, apostando num «produto de elevada qualidade a um preço inferior ao praticado pelas principais marcas», adianta.

Depois há ainda o private label, ou seja, o desenvolvimento de colecções pelo gabinete de design da empresa, uma área importante, uma vez que «cada vez menos as empresas efectuam stock de artigos», explica. Assegurando uma resposta rápida em termos de entregas de pedidos, as empresas clientes conseguem responder aos pedidos do consumidor final, sem que tenham de investir num grande volume de stock.

Aumentar exportações para Europa e América Central

No que respeita a estratégia comercial, a empresa procura entrar em novos mercados, angariar novos clientes e consolidar os já existentes, sendo que o grande objectivo passa por aumentar as exportações com a marca Di Stilo para a Europa e América Sul, bem como atrair novos clientes no segmento de mercado médio/alto em termos de private label.

A presença em feiras internacionais representa «a única forma de conseguir contactos e novos clientes», para além de servir de apoio, ao nível da apresentação de colecções aos clientes da empresa, e de veiculo de marketing, atendendo ao elevado número de empresas presentes. A presença nos certames funciona também como «garante de qualidade», salienta Luís Carlos.

Exportações crescem 189% no semestre

Neste momento a Di Stilo participa semestralmente nas feiras da Holanda (BUNNIK), Itália (MIPEL e MICAM), Rússia (CPM Moscow) e Brasil (Showroom) e os resultados da aposta em mercados externos estão à vista. As exportações para 21 países – onde se incluem a Espanha, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Itália, Dinamarca, Suécia, Noruega, Rússia, Japão, Coreia, Peru, Chile, Brasil, EUA e Eslovénia – representam 51% de 2,109 milhões de euros do total de facturação em 2005, mais 35% do que no ano anterior.

Como principais mercados, a Di Stilo aponta Espanha para o private label, e Holanda, Dinamarca, Bélgica e Suécia para a marca própria.

No primeiro semestre deste ano o volume de negócios da empresa cresceu 80% face a igual período do ano anterior e as exportações registam uma subida homóloga de 189%.

Calçado português de gama alta tem qualidade e preço competitivos

As principais vantagens competitivas deste sector em Portugal assentam «na qualidade superior, aliada a um preço atractivo, quando comparado com os principais países produtores de qualidade alta», salienta Luís Carlos.

Quanto aos desafios, Luís Carlos enumera a «a sobrevivência das empresa, adaptação continua às necessidades e alterações constantes do mercado e o desenvolvimento de produtos adaptados aos clientes, apostando na diferenciação. É a diferenciação que permite penetrar no mercado e consolidar as marcas, enquanto marcas de referência para determinados segmentos, explica.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.