Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Liberalização do mercado afecta cerca de 5,7 milhões de clientes em Portugal

Os clientes domésticos e as micro-empresas vão receber por correio informação sobre o mercado livre de electricidade. De acordo com o Jornal de Notícias, a Entidade Reguladora do Sector Eléctrico (ERSE) vai enviar seis milhões de cartas com informação necessária para que os consumidores possam decidir se devem ou não deixar a EDP, revela a edição online da SIC.

A partir de 4 de Setembro, data da liberalização do mercado, qualquer pessoa poderá deixar de ser cliente da EDP e escolher outro fornecedor de electricidade.

Para já, estão registados junto da entidade reguladora, além da EDP, as espanholas Unión Fenosa, Iberdrola, a parceria entre a Sonae e a Endesa e a italiana Enel. Nenhuma das empresas apresentou a estratégia de mercado. Só a EDP admite apenas promoções pontuais de preços.

Para que os clientes fiquem esclarecidos em relação à oferta, a ERSE vai começar a enviar seis milhões de cartas com todas as informações necessárias para conhecer o mercado liberalizado.

ERSE disponibiliza simulador de preços e condições online

A ERSE está ainda a preparar um simulador online (no site www.erse.pt) que poderá ajudar os clientes a decidir a que empresa querem aderir. O programa informático indica as características do contrato e o tipo de consumo e, com base nesses dados, revela o preço que cada um dos fornecedores cobrará ao final do mês.

A ERSE aconselha ainda as famílias a prestar atenção a outros detalhes dos contratos a assinar, como a periodicidade da factura, as condições e os modos de pagamento e a duração mínima do contrato e penalizações pela rescisão.

A liberalização do mercado para os consumidores domésticos e micro-empresas vai afectar cerca de 5,7 milhões de clientes em Portugal.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.