Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Etanol representa «grande oportunidade de negócio» para Brasil e Portugal

A cooperação na produção de etanol representa uma grande oportunidade de negócio para Brasil e Portugal e o tema estará em destaque na visita do primeiro-ministro português, afirmou hoje o presidente da Agência de Promoção de Exportação (Apex), Juan Quirós.

«Portugal não pode ficar fora desta grande oportunidade. Os empresários portugueses já investiram muito no sector energético no Brasil e agora chegou a hora do etanol», disse à Agência Lusa, adiantando que os dois países deverão definir estratégias para desenvolver a produção de etanol nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), onde o solo e o clima apropriados favorecem a produção da cana-do-açucar e a cooperação triangular nesta área.

Sobre o etanol

O etanol é o álcool mais comum. Trata-se de um composto orgânico obtido através da fermentação de substâncias amiláceas ou açucaradas, como a sacarose existente na cana-do-açucar.

É utilizado como combustível automóvel, bem como na produção de energia eléctrica, bebidas alcoólicas e em diversas aplicações na indústria química e farmacêutica. Enquanto fonte de energia renovável, e alternativa ao petróleo, a importância do etanol sai reforçada face à escalada dos preços do petróleo para valores nunca antes vistos.

Nos EUA, a mistura etanol-gasolina (24 a 26% de etanol), corresponde a 8% do mercado de combustível, enquanto no Brasil 43% dos automóveis utilizam a mistura como combustível.

Portugal na mira de investidores brasileiros

Apesar de Portugal não estar na lista dos principais destinos do investimento brasileiro no exterior, o país já foi escolhido por alguns grandes investidores do Brasil: Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), que passou a controlar a Lusosider, a Marcopolo, a Weg Motores e a participação da Embraer no consórcio AirHolding, em associação com o consórcio europeu EADS, que adquiriu 65 por cento das OGMA.

Quanto aos investimento português no Brasil, poderá vir a intensificar-se, especialmente em áreas de infra-estrutura, no âmbito das Parcerias Público-Privadas (PPPs) lançadas pelo governo brasileiro para incentivar a criação de ‘joint-ventures’.

Na opinião do presidente da Apex, os empresários portugueses devem «olhar o mercado brasileiro como nicho» e vice-versa, para que as oportunidades de negócios entre os dois países sejam ampliadas.

«Quem tem muitas prioridades, não tem nenhuma», assinalou., lembrando que a Apex e o Icep (Investimento Comércio e Turismo de Portugal) estão aptos a ajudar os empresários brasileiros e portugueses interessados em investir.


Brasil: comércio e investimento externos em números

No primeiro semestre deste ano as exportações portuguesas para o Brasil subiram 26,5% em relação ao período homólogo de 2005, para os 105,7 milhões de euros, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC),

Já as exportações brasileiras para Portugal aumentaram 80% para 566 milhões de euros, puxadas principalmente pelo petróleo. No entanto, em 2005, Portugal representou apenas 0,9% das vendas brasileiras ao exterior em 2005 e somente 0,3% do total das importações do Brasil.

Nos últimos dez anos, os portugueses investiram no Brasil, segundo estimativas do Icep, cerca de 10,9 mil milhões de euros. Já os investimentos brasileiros em Portugal, desde 1997, totalizam apenas 1,1 mil milhões de euros.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.