Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Ouro subiu 40% desde Dezembro de 2004

Depois de décadas de estagnação, a indústria mineira não estava preparada para o aumento da procura dos últimos dois anos. Fruto deste contexto, a onça do metal fechou ontem nos 617,5 dólares, em alta de 40,8% face ao final de 2004, e ainda a corrigir do máximo de 26 anos atingido a 11 de Maio, em 718 dólares, revela a edição de hoje do Diário Económico.

O ouro viu o seu peso aumentar nas reservas dos Bancos Centrais, em especial no Médio Oriente e na Ásia”. Especialistas contactos pelo DE confirmaram que a China, a Índia e outras potências “emergentes” têm adquirido ouro, pelo que o metal tem consolidado a sua natureza de “activo refúgio” por excelência.

A fraqueza do dólar, a escalada do crude e a tensão geopolítica têm alimentado a procura do metal amarelo. “Os metais preciosos adoram más notícias”, justificou um gestor de fundos citado pela Reuters.
Os analistas prevêem que o ouro continue a valorizar nos próximos anos, embora a um ritmo mais lento que o dos últimos meses, revela ainda aquele diário.

Portugal é o país do mundo com mais ouro nas suas reservas externas

Portugal é o décimo primeiro país com maiores de reservas de ouro, e aquele onde este metal tem maior peso nas reservas externas do banco central, revelam dados do Banco de Portugal (BdP) e do World Gold Council a que o Diário Económico teve acesso.

O banco central possui 402 toneladas de ouro, situando-se entre Taiwan e a Rússia no ‘ranking’ mundial. Mas Portugal é o país em que o metal tem mais peso nas reservas externas (compostas por ouro e divisas estrangeiras), somando 80% do total.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.