Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Energia nuclear: Mira Amaral prevê “ressurreição” e quer fim de “tabu” português

O ex-ministro da Indústria e Energia, Mira Amaral, defendeu ontem o fim do «tabu» sobre a discussão da eventual construção de centrais nucleares em Portugal, face ao previsível ressurgimento deste tipo de produção energética, revela a Agência Lusa.

«Vai haver uma ressurreição do nuclear. Vamos ter de fugir do petróleo», afirmou aquele rsponsável durante o debate «Nuclear: Sim ou Não?», promovido pelo Núcleo Ocidental do Porto do PSD.

Para o ex-ministro dos governos de Cavaco Silva, os riscos ambientais, para os portugueses, de uma central nuclear construída em Portugal são os mesmos das centrais nucleares existentes em Espanha.
«Existem centrais nucleares em Espanha, uma das quais descarrega para o Rio Tejo. Qual é a vantagem das centrais nucleares estarem do outro lado da fronteira? Nenhuma», afirmou.

Centrais a gás ou carvão levantam problemas para o planeta

Mira Amaral realçou que o relatório da Rede Eléctrica Nacional aponta para a necessidade de construção de novas centrais eléctricas em Portugal, a carvão ou a gás natural, mas estas fontes energéticas levantam actualmente grandes problemas para o planeta.

«Há que discutir quais são os proveitos e fazer as contas», referiu, salientando que, quando estava no governo, era «marginalmente mais barata» a opção pelo carvão ou gás natural, mas estas formas de produção energética «têm actualmente o custo da produção de CO2».

Energias renováveis não resolvem problema a curto-prazo Mira Amaral disse ainda que é um «mito» pensar-se que a solução está nas energias alternativas, como a eólica.

«As energias renováveis não vão resolver o problema a curto prazo. Elas sozinhas não permitem satisfazer as nossas necessidades energéticas», frisou.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.