Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Grupo Lena compra maioria da Tagusgás

A Construtora do Lena vai tomar a maioria do capital a Tagusgás. O controlo da distribuidora de gás da região do Ribatejo já foi notificado à Autoridade da Concorrência e resulta da compra de participações minoritárias, revela a edição de hoje do Jornal de Negócios.

Segundo soube o Jornal de Negócios, a Construtora do Lena, que controla cerca de 20% da distribuidora, está a comprar várias participações minoritárias que lhe permitirão chegar a 52% do capital e obter a maioria. Até agora, a Galp Energia era a maior accionista da Tagusgás com 41,2%, posição que deverá manter, segundo informou a empresa ao Jornal de Negócios.

A Construtora do Lena quer comprar as participações minoritárias da Renova, Nersant, entre outros. A Tagusgás é uma das mais novas distribuidoras sendo a responsável pela distribuição de gás em média e baixa pressão no Vale de Santarém, numa área que envolve 39 concelhos dos distritos de Santarém, Portalegre e Leiria.

A Tagusgás, segundo informação recente da empresa, vai investir até ao final deste ano 1,3 milhões de euros na unidade operacional de Portalegre que passa pela construção de 35,5 quilómetros de rede nos próximos três anos. O objectivo é garantir a ligação ao primeiro cliente em Elvas ainda este ano, quando deverá também arrancar a ligação a Campo Maior.

A Tagusgás chegou ao final do ano com 14 mil clientes e um volume de vendas de 8,5 milhões de euros. Segundo informação disponibilizada pela Galp a distribuidora tinha no final do ano passado uma rede total de 486 quilómetros. A sua actividade arrancou em 2000.

Depois da Portgás, cujo controlo foi vendido à EDP em 2005, esta é a segunda distribuidora de gás natural onde a Galp deixa de ser a principal accionista.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.