Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Grupo Lena investe 17,5 M€ na requalificação das termas de Monte Real

Célia Marques

O Grupo Lena vai investir 17,5 milhões de euros na requalificação das Termas de Monte Real, unidade adquirida pela sua participada Lena Hotéis e Turismo, em Março último. O investimento será feito em parceria com a família Mexia Alves, que detém 20% do projecto, não sendo de excluir, no entanto, a entrada de novos parceiros. «Neste momento é assim, mas os projectos têm a sua evolução natural», disse Paulo Fernandes, director da Lena Hotéis e Turismo.

O projecto, hoje apresentado, contempla a construção de um complexo turístico (hotel de quatro estrelas e balneários), complexo desportivo (centro estágios) e habitacional (moradias luxo) e resulta de um estudo que a empresa levou a efeito durante primeiro ano em que esteve à frente das termas. «Concluímos que, tal como está hoje, não iria aguentar muito tempo. Estávamos com alguma dificuldade em promover o espaço», revelou, no final da apresentação Paulo Fernandes.

O complexo turístico e habitacional a levar a efeito, inclui um balneário para termalismo clássico e termalismo de bem-estar – SPA – estimando-se que este represente cerca de 20% da facturação total.

O projecto já deu entrada nas entidades competentes, tendo-lhe sido reconhecido o carácter de interesse público. Relativamente à receptividade das entidades envolvidas, Paulo Fernandes disse apenas que nada tinha a apontar a nenhuma das entidades. O mesmo referiu António Vieira Rodrigues, presidente do Conselho de Administração do Grupo, durante a sua intervenção, não deixando, no entanto, de fazer um apelo às entidades envolvidas «para que não sejam criadas dificuldades aos promotores».

Quanto a prazos, Paulo Fernandes escusou-se a adiantar datas, invocando que, num «projecto desta dimensão, são muitas as entidades que têm de se pronunciar».

Transformar Termas de Monte Real em complexo de luxo

O complexo turístico e habitacional a levar a efeito, inclui ainda um restaurante, salas polivalentes, casa de chá, esplanada, bares, piscinas, parques infantis, lago, squash, court de ténis, campos de futebol, mini golfe, circuito de manutenção, jardins, vivendas e lojas.

Quanto ao hotel, prevê-se que seja de quatro estrelas, construído de raiz, preservando a identidade do Hotel Monte Real, patente na fachada que data do início do século XX.

«O objectivo passa por transformar as termas de Monte Real num complexo de luxo, investindo na revitalização do parque natural e sem perder a fachada que identifica aquele espaço», revelou, durante a apresentação, o arquitecto António Garcia, responsável pelos projectos de revitalização do parque termal e autor dos projectos de arquitectura do Hotel, Termas e SPA.

Apesar da intervenção que o Complexo vai sofrer, as termas estarão ininterruptamente abertas para o termalismo de bem-estar, podendo os seus clientes usufruírem, a partir de 20 de Março, do termalismo clássico.

Turismo: Grupo reforça investimento em locais onde já se encontra presente

O Grupo Lena pretende intensificar os investimentos na área da hotelaria e turismo «em países onde já se encontra presente, por questões de sinergias de Grupo», revelou Paulo Fernandes, salientando o Leste Europeu e Salvador da Baía, no Brasil.

Recorde-se que a Lena Hotéis estreou-se, em Janeiro deste ano, no processo de internacionalização, com a aquisição, em Angola, dos restaurantes Caribe e Chill Out.

Em Portugal, o Grupo Lena conta com uma rede de seis unidades hoteleiras.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.