Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Icep prepara acções de notoriedade para o mundial de futebol

Célia Marques / Diário Económico

O Icep tem previstas 38 acções de notoriedade do País, a decorrer na Alemanha, durante o mundial de futebol, revelou João Marques da Cruz, presidente do Icep, durante um jantar conferência que decorreu terça-feira em Leiria. «Trata-se de aproveitar a visibilidade do evento para divulgar marcas portuguesas», disse, escusando-se a adiantar mais pormenores relativamente ao conteúdo das acções, que serão conhecidas no final do mês de Março, durante uma apresentação pública a realizar em Berlim.

Durante a sua intervenção, João Marques da Cruz disse ainda que é preciso que os empresários utilizem os mecanismos de apoio financeiro e mobilizem as capitais de risco públicas que, segundo aquele responsável, não têm sido utilizadas porque não são apresentados projectos. «As capitais de risco têm um papel importante na agregação das empresas. Desafiem o Icep para projectos de internacionalização comercial. Até agora não nos foi apresentado nenhum», salientou.

O Icep está a trabalhar com dois bancos portugueses «no sentido de melhorar as linhas de crédito de curto prazo à exportação», revelou o presidente do instituto, salientando a «importância de se melhorar também o seguro de crédito à exportação, criando, para tal, mais concorrência nesse sector.

Icep na Índia, mas com «criatividade»

Quanto à presença do instituto noutros países, João Marques da Cruz revelou que se prevê um aumento do número de delegações, «mas com alguma criatividade. Não podemos querer reduzir o peso do sector público na economia e, em simultâneo, criar mais estruturas públicas. O Icep custa caro, são 250 pessoas em 51 em países. Por agora está prevista a abertura de uma delegação em Xangai e, em Novembro, outra na Líbia. Não descuramos marcar presença na Índia, mas com criatividade».

O presidente do Icep defendeu a existência de instrumentos de promoção e distribuição «que não sejam actuações de mercado a fingir e à custa do subsídio. Durante o evento organizado pelo Núcleo Empresarial da Região de Leiria (Nerlei), João Marques da Cruz disse que é preciso apostar em projectos de dimensão empresarial e que o Icep pretende ter, até 2007, cinco centros de distribuição. «Os centros não terão o modelo Vitrocristal. Queremos um formato empresarial, com accionistas privados que arrisquem o seu dinheiro. O Estado deve apoiar, mas sem criar dependência. As empresas centro de distribuição têm de ter lucro e devem ser implementadas em locais de difícil penetração, servindo de incubadora às empresas para que estas possam ter mais controlo sobre os seus circuitos comerciais», explicou.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.