Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

AKI distribui prémio correspondente a um ordenado por colaborador

O AKI Portugal distribui, pelo terceiro ano consecutivo, 16% dos seus resultados líquidos por todos os colaboradores da empresa. Depois de atingir um volume de vendas recorde em 2016, na ordem dos 212 milhões de euros, e um crescimento de 9% nos lucros, cada colaborador desta cadeia, que possui uma loja também em Leiria, irá receber um prémio correspondente a um ordenado extra.

Este prémio pode ser aplicado em acções da ADEO (proprietária do AKI) – cuja valorização foi 8,02% no último ano, registando uma constante valorização, sempre acima dos 6%, nos últimos três anos – ou num produto financeiro disponível.

Segundo comunicado da empresa, a esmagadora maioria da equipa AKI opta por se tornar accionista do grupo onde trabalha. Em 2015, 94% dos colaboradores preferiu esta solução e, no mesmo ano, 14% dos colaboradores decidiu investir este prémio de distribuição de resultados na compra de mais acções da ADEO.

 Um dos grandes objectivos deste processo é, a curto prazo, assegurar que todos os clientes das empresas da ADEO são atendidos por colaboradores-accionistas, convertendo os 100% dos seus colaboradores em donos da empresa onde trabalham.

O AKI continua a executar o seu plano de expansão até 2020, tendo o objectivo de duplicar o parque de lojas, passando das actuais 34 para 64. Com um investimento de 100 milhões de euros, o plano passa por abrir lojas em zonas de influência na ordem dos 20 mil habitantes. Para acompanhar esta expansão, espera-se o crescimento da equipa AKI com a criação de mais 670 postos de trabalho líquidos, atingindo-se os dois mil colaboradores. Em 2017, o AKI estima contratar cerca de 100 pessoas.

 

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.

Leiria é quinto distrito com mais PME Excelência em 2016

O distrito de Leiria cresceu acima da média nacional no que toca a empresas PME Excelência em 2016, sendo o quinto que mais empresas tem com este título. O concelho de Leiria mantém a liderança mas o da Marinha Grande foi o que conquistou mais empresas. Em causa estão empresas financeiramente sólidas e em crescimento.