Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Frubaça investe em armário automático vertical da VRC

A Frubaça, produtor de fruta e detentora da marca de sumos 100% naturais – Copa, equipou a sua unidade de produção de Alcobaça com um armazém automático vertical  HÄNEL LEAN-LIFT, comercializado pela VRC.  O equipamento assegura que todo o stock de rótulos se mantenha em condições óptimas de temperatura, humidade e protecção do pó.

«Este novo investimento permite à empresa ter um controle de inventário in time, juntamente com uma organização mais eficiente de todos os rótulos, bem como um aumento da capacidade de armazenamento instalada em mais 80%», explica a VRC em comunicado.

Dedicadas 100% à tecnologia de armazenamento automático vertical, a VRC, empresa de Famalicão, tem no seu portfolio de clientes empresas como a Coca-Cola, Victor Guedes (Azeite Gallo) ou Mendes Gonçalves (Paladin).

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.