Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Região Centro foi a segunda onde o turismo mais cresceu em 2016

 

O ano de 2016 foi o melhor de sempre para a actividade turística no Centro de Portugal. Segundo os resultados preliminares sobre o sector, revelados esta semana pelo Instituto Nacional de Estatística, a procura pela região Centro disparou a nível nacional e, sobretudo, internacional.

As dormidas em hotelaria de cidadãos estrangeiros no Centro de Portugal cresceram 12,3% e as dormidas de cidadãos nacionais subiram 7,9%. No total global, as dormidas no Centro de Portugal registaram, em 2016, um crescimento de 9,74%, ficando muito perto dos cinco milhões (4.943.896).

Quantos aos proveitos no sector do turismo, cresceram 13,65%, acima do aumento das dormidas, «o que significa que o Centro de Portugal está a ser procurado por turistas de maior condição económica, os quais estão a gastar mais na região», explica o Turismo Centro de Portugal (TCP). No total, as dormidas em hotelaria no Centro de Portugal renderam 228,5 milhões de euros.

«Estes números comprovam que a estratégia que definimos é a correcta. O Centro de Portugal tem vindo a ganhar espaço como destino na percepção dos turistas, tanto a nível nacional como internacional», explica Pedro Machado, presidente do TCP.

«A região tem vindo a aumentar e a melhorar a sua oferta de alojamento e os resultados começam a ser visíveis. Mas ainda há um enorme potencial de crescimento: isto é apenas o começo», acrescenta o responsável.

Segundo a TCP, «2017 promete ser ainda melhor para o Turismo do Centro». A entidade lembra a visita do Papa Francisco a Fátima, em Maio, e o facto de o Centro de Portugal ter sido eleito pelos agentes de viagens europeus como o destino preferido para este ano.

 

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.