Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Cerâmica Coelho da Silva celebrou 90 anos

A CS – Coelho da Silva SA, empresa de Porto de Mós que se dedica ao fabrico de telhas, celebrou a semana passada 90 anos de actividade. A empresa possui actualmente cinco unidades fabris, todas nas imediações da primeira, com uma área total de 350 mil metros quadrados, 68 mil dos quais cobertos.

A cerâmica encerrou 2015 (últimos dados oficiais disponíveis) com um volume de negócios de 20 milhões de euros, 3,4 milhões de euros dos quais advindos de exportação. Aquele exercício terminou ainda com um lucro de 612 mil euros.

A empresa foi fundada em 1927, por José Coelho da Silva, tendo em vista o fabrico, então artesanal, da telha de canudo. Ao longo dos 90 anos, a Coelho da Silva expandiu-se em termos de produtos, serviços e mercados, mantendo sempre a tónica no fabrico de telha e de acessórios para coberturas e fachadas.

«São décadas de aperfeiçoamento do ofício e do estado da arte, de uma liderança a acreditar no potencial do negócio e a valorizar o desenvolvimento de uma cultura de qualidade e de bem-fazer, passada diariamente a quem trabalha, no sentido de se continuar a crescer, melhor e mais forte», sublinha José Coelho, neto do fundador e actual presidente do Conselho de Administração da empresa, citado em comunicado.

A empresa mantém-se uma marca com capital e investimento 100% portugueses. As diversas gerações mantêm-se ligadas ao projecto, que prossegue a sua actividade como empresa familiar, com capitais inteiramente familiares, tal como na génese.

Da história da empresa faz parte a condecoração de  João Lopes Coelho da Silva, filho do fundador, em 1994, com o grau de Comendador da Ordem de Mérito Industrial, destinado a distinguir aqueles que prestaram serviços notáveis na valorização da indústria portuguesa e da comunidade local.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.